Empacotando as malas, de partida de Noronha, o povo resolveu fazer uma última parada pra almoçar na Pousada Maravilha. Não era má idéia, afinal, a perspectiva da comida de avião não apetecia nem os estômagos mais calejados. Além disso, todos estavam curiosos pra conhecer a famosa pousada de charme que pertencia aos Diniz e a Luciano Huck.

Clique na imagem para acessar o site da pousada. ATENÇÃO! Não faça isso se você estiver no trabalho, principalmente se for num escritório: pode causar depressão profunda!

Fomos lá também para conhecer o trabalho do chef Fábio Tavera, que em Brasília trabalhou no buffet de Cristina Roberto e no Bistrô Bom Demais (dentro do CCBB). Depois disso teve participação na edição inicial no reality-show SuperChef, seguido por uma temporada na Europa.

Amuse-bouche de tiraditos de peixe recém-defumado (sentimos o cheiro à nossa chegada) com molho de iogurte.

Para a entrada tivemos ceviche (bem suave no limão) com gomos de laranja e acompanhado de batata doce caramelada.

Fábio Tavera (em pé) explicando os pratos para os comensais (à esq. Jorge Bandeira, rest. Le Corbu/AL).

No meio do caminho ainda apareceu uma salada, pedida por alguém com peso na consciência após dias de comilança e beberança exacerbada. Chegou uma salada de rúcula, tomates assados, lascas de parmesão e vinagrete de limão siciliano que foram comunitariamente consumidos.

Espaguete do Pescador (puxado com frutos-do-mar, tomate e manjericão).

Grelhados Maravilha (peixe do dia e frutos-do-mar grelhados com legumes e frutas).

Rabada desfiada e reconstituída em seu molho, crosta de banana-da-terra, servida com o clássico gratin dauphinois de batata.

Filé de peixe com crosta de côco ao molho de moqueca e cuscuz nordestino.

No desfecho, a combinação foi perfeita: harmonizando o chique estabelecimento que nos acolheu, o brinde só poderia ser com uma viuvinha cheia de perlage. Santé!

BACK TO REALITY: hoje Fábio Tavera esteve no Babel com a esposa Clarice. Nosso roteiro foi couvert, carpacho (carpaccio de mignon de sal com teryiaki de cajú), tijolinhos de tapioca com emulsão de pimenta biquinho, talharim de pupunha ao alho e óleo com oeuf-au-missô, duo flambée no amuse-bouche, escalopine de filé ao molho de cogumelo, salmão yoshi, costelinha de porco caramelada em suco de laranja e curry, torre de babel. Claro, a trilha foi lubrificada por duas garrafas de espumante! Uhu!!!

Anúncios