O texto abaixo foi retirado do blog Por uma Confeitaria Brasileira, sob autoria de Diego Lozano, chef-pâtissier que esteve na casa por conta da 8ª edição do projeto Babel Convida. Para acessar seu blog e ver o post original clique aqui. Lá estão as receitas de sua controversa sobremesa, como está relatado abaixo.

Gostaria de relatar minha impressão com relação ao desenvolvimento e receptividade dos comensais, durante a 8ª edição do Babel Convida.

Sempre deixei claro que gosto de ousar, inovar e impressionar as pessoas quando tenho total liberdade de criação. Esse foi um dos motivos pelos quais decidi seguir carreira solo, pelo simples fato de não ter ninguém palpitando durante minhas criações, questionando se aquilo vai vender ou não.

Gosto de criar, pelo simples fato de poder expressar meus sentimentos através da sobremesa. Criar um doce é como escrever uma poesia, pintar um quadro, é arte; e a arte tem diversas formas de compreensão.

Também não costumo dizer, além de não fazer questão, que minhas criações são excepcionais, as melhores dentre todos os confeiteiros, etc etc e tal. Nós, confeiteiros e cozinheiros, estamos lidando diariamente com paladares de diferentes tipos, portanto, é impossível chegar a uma “conclusão” dessa magnitude num mundo tão grande quanto o nosso.

 

Nossas criações são boas para aqueles que nos seguem, admiram e gostam de nós. Nossas criações são boas para nossos semelhantes.

Enfim, durante o evento em questão, cada um dos chefs convidados tinham de descrever suas criações para os comensais minutos antes de servi-las.

Quando apresentei a sobremesa entitulada de Flores, Frutas e suas Texturas (foto acima), a expressão no rosto das pessoas foi unânime. Felicidade com um leve toque de curiosidade.

"Experiência Chocolate" - ganache de chocolate com priprioca, suspiro esfarelado de tinta de lula, pirulito de alho com chocolate, e sorvete de chocolate defumado...

...acompanhado à parte por um consomé de cacau trufado.

Em seguida, os “presenteei” com a Experiência Chocolate e a expressão mudou um pouco, além dos comentários durante e após a apresentação, como:

– “Esse cara é louco.”

– “Será que é bom?”

– “Hmmm, alho com chocolate? Eu passo…”

– “Não vejo a hora de provar”

Dentre outros, que realmente me fazem querer, cada vez mais, desenvolver sobremesas conceituais.

Ao término do jantar, logo após o macaron de queijo de cabra com cupuaçu (foto acima), fui conversar com os comensais e os comentários continuaram diversos.

Conversei com pessoas que gostaram MUITO e outros que GOSTARAM MUITO POUCO.(rs!)

Me diverti muito com as expressões e diferentes leituras da sobremesa e independente do avaliação final, certamente eles não se esquecerão dessa experiência.

Nota do blogueiro – como anfitrião do Babel Convida e mestre de cerimônias dos jantares, fiz analogias ao público presente. Uma grife de roupas tem a coleção da estação à venda nas suas lojas diferente da apresentada nos grandes desfiles de moda, onde as peças são muito mais conceituais do que utilizáveis no dia-a-dia. Da mesma forma, as montadoras de carros, nas grandes feiras internacionais, apresentam “carros conceito” que na grande maioria das vezes nunca vai chegar à linha de produção. Elas simplesmente mostram as tendências e tecnologias de ponta. O Babel Convida é um evento diferenciado, onde o chef-convidado tem a oportunidade de mostrar toda sua capacidade, inovar, ousar, inventar. Sim, esses jantares são, para nós, como os grandes desfiles de moda! (E eu amei! Em especial o sorvete de chocolate defumado.)

Anúncios