O hotel Hilton é um endereço pomposo de Belém e fiel parceiro dos eventos da Boa Lembrança. Todos os convidados do 9º Festival Ver-o-Peso da Cozinha Paraense (chefs e imprensa) ficaram hospedados lá. Fugíamos do calor da cidade nos quartos gelados a 20ºC, mas nas espiadelas pela janela éramos agraciados com uma vista dessas.

Levados pelo chef Thiago Castanho fomos conhecer O Mormaço (o telhadinho branco da foto), que fica ao lado do parque Mangal das Garças (sinalizado com a seta verde).

A idéia era fugir das tradicionais arapucas pra turista e fazer um programa dos locais: um enorme deck a céu aberto, às margens do rio Guamá, com essa vista de um lado...

... e do outro o mirante do Mangal. Prestem atenção: usem a construção pra avaliar o tamanho e a altura da vegetação local!

E chegamos a tempo de pegar essa pintura na vista central.

Talvez já acostumados, os belenenses pareciam não dar muita atenção ao cenário. E quando digo que era uma pintura, isso é facilmente demonstrável.

Público descolado e descontraído, pôr-do-sol, várias garrafas de Cerpa, banda tocando carimbó e reggae, e o que os cozinheiros fazem?! Smartphone na mão: "tweet it, damned, tweet it"!!! Na foto: Thiago Castanho, Heiko Grabolle e Mônica Rangel.

É claro que também fomos conhecer a Estação das Docas, um verdadeiro Puerto Madeiro brasileiro, onde fica localizado o restaurante Lá em Casa.

Após uma seqüência de dias chuvosos, conhecemos o famoso Ver-o-Peso sob um sol inclemente e uma temperatura inflacionadíssima. Provavelmente o lugar mais fresquinho de todo o mercado seria deitado nesse carrinho, sobre mais de 200 kgs de polpa carnuda de cupuaçu. Na foto, Tom Yoshino, o belga Frédéric de Maeyer e Dalton Rangel.

Fizemos um passeio de barco até a Baía do Guajará, com direito a música ao vivo e danças típicas. O único que teve coragem de atender à convocação dos dançarinos foi nosso querido alemão-pé-de-valsa.

Uma bela vista e uma brisa super-agradável. Agora... pense num cába sentado no para-peito e morrendo de medo de cair na água!

No passeio, Dânio Braga (Locanda Della Mimosa/Petrópolis), Mônica Rangel (Gosto com Gosto/Visconde de Mauá), Dalton Rangel (atrás, do Yucca Gourmet/Visconde de Mauá), Thiago Castanho (Remanso do Peixe/Belém), Heiko Grabolle, eu (atrás), Tânia Martins (Lá em Casa/Belém), Sebastião (atrás, professor do SENAC), Pedro (Brasil a Gosto/SP), Sandro Mota (Santarém) e Frédéric de Maeyer (Eça/RJ).

Por falar em SENAC, para a misenplace parte dos chefs foi alocada na cozinha do Hilton (Mônica, Dalton, eu e Alex), enquanto os outros ocuparam as instalações daquela instituição de ensino. Na foto, como sempre, o alemão fazendo a social com os alunos.

No restaurante Benjamin, do chef Sérgio Leão, conhecemos (e destruímos) os torresmos de pele de pato...

... além de um campeoníssimo camarão empanado com tapioca e servido com pesto de jambú e redução de tucupi.

Mais comida?! Churrasco de paraense tinha que ser de quê? De peixe, claro!!!

E sabiam que uma xicrinha de tucupi, quente e bem temperado, é ótimo para um after-meal?! Ao fundo, uma companhia constante de nossas andanças: a cerveja Tijuca, uma variedade mais leve da Cerpa (Cervejaria Paraense S.A.).

E numa das saídas noturnas nos deparamos com isso: talvez a maior concentração de erros ortográficos dos últimos tempos. Convenhamos: "SERVICH" matou a pau!

Em compensação, no mesmo local tínhamos essa vista: a fragata V24 da Marinha Brasileira.

No dia do evento-mor da programação - o "Jantar Popular", houve espaço também para uma homenagem. Juarez Campos (chef do Oriundi/ES) mandou confeccionar essa camisa da seleção brasileira para Alex Atala, personalizando ainda com o nome do restaurante e sua colocação do ranking do World's 50 Best Restaurants...

...presente que ele fez questão de usar até o final da noite. Fotos bem descontraídas e com muitos sorrisos: sensação de dever cumprido... e com sucesso!!!

Anúncios