Tags

Não uso, mas também não condeno quem usa (ao menos não-profissionalmente) tabletinhos de caldo pronto. Convenhamos, hoje em dia, e especialmente na cozinha de casa, ninguém tem tempo para ficar fazendo caldos trabalhosos e de preparo demorado… a não ser que seja algúem à toa, como eu.

Almofariz tipo "pente", japonês, em cerâmica, tamanho médio, mais um pilão (também japonês) de madeira: o conjunto sai por menos de R$ 50 na Liberdade.

A brincadeira surgiu motivada por um livro que estou lendo, sobre cozinha oriental, que recorrentemente faz a mescla de temperos no pilão. Aproveitei a ida pra São Paulo, comprei e, na volta, pus pra trabalhar… e que trabalho!

1 c.s. rasa de mix de pimentas (preta, branca e rose); 2 c.s. de amendoim torrado; 5 dentes de alho; 1 c.chá de sal; 1 maço (desfolhado) de manjericão; 1 c.s. de azeite; e MUITA DISPOSIÇÃO!

Posso usar o liquidificador/processador? Sim, vai dar muito menos trabalho, o resultado é mais uniforme, conseguindo triturar melhor as fibras da erva, porém a tendência é uma perda de coloração e maior oxidação (o verde escurece e acinzenta). O pilão é a forma tradicional de fazer esses macerados, tal como o molho pesto. Por outro lado, é perfeito para triturar temperos secos, como as muitas variações de curry.

Uma vez pronto, espalhe numa travessa, com altura uniforme, entre duas folhas de papel-manteiga ou de filme plástico. Leve ao freezer e, quando estiver congelado, corte em cubinhos. Rende 12 tabletes.

O resultado é (como esperado) fortíssimo no perfume do manjericão, muito menos salgado do que os tabletinhos industriais, e levemente picante (o que se regula com a quantidade maior ou menor de pimenta). Tal procedimento pode ser aplicado também a outras ervas aromáticas, alterando o tamanho do cubinho cortado de acordo com suas características (alecrim, por exemplo, que deve ser usado em menor quantidade devido à sua enorme potência de sabor). Bom proveito!

Anúncios