Ontem uma jornalista me perguntou: “E se o mundo for acabar mesmo em 2012, o que você gostaria de comer (e/ou beber) antes disso acontecer?”.

Pensei em duas comidas, ambas com a mesma estrela (proteína), ambas da minha mãe. Curiosamente, nos últimos tempos têm aparecido algumas receitas de um produto renegado pelo público e pelos restaurantes. Seria carne de porco (o público só topa costelinha, certo?!)? Pior! É barriga de porco!!!

Uma delas seria descrita pelo italiano como carpaccio bianco, com paralelepípedos de barriga de porco cozidas em bouillon de gengibre com cebolinha. Depois disso vão à geladeira, são fatiadas fininho, e servidas com um molho de shoyu, cebolinha, gengibre e alho picados.

A outra é um ragú de barriga de porco cortada em cubinhos, salteados, e finalizados por cozimento em shoyu. Isso é servido quente com arroz branco e, por cima, uma palha parecida com o piracuí paraense, mas feita de carne de porco.

São gordos? SIM. Têm colesterol elevado? PROVAVELMENTE. Mas se o mundo vai acabar, qual o stress?! Para acompanhar, um Chateau Pichon Longueville – Comtesse de Lalande. Se não harmonizar, o sommelier que venha tomar satisfações comigo no outro mundo!

[UPDATE]

Meu irmão mandou isso aí: “Novo calendário maia encontrado. Fim do mundo adiado. http://news.discovery.com/history/mayan-calendar-discovery-doomsday-120511.html

Digo o seguinte: se o fim do mundo foi adiado, problema do mundo! EU continuo querendo minha barriga de porco!!!

Anúncios