Ainda por conta da ida de semana passada a Sampa (leia o post anterior), o Mr. Marravilha disparou algumas vezes: “Quero ir lá no restaurante da Bel. Vamos almoçar juntos lá?”.

Estive no Dui há quase 3 anos, restaurante recém-aberto, apenas de passagem para conhecer o espaço. Estava a caminho de outro compromisso, e como não experimentei os pratos efetivamente, a visita não conta.

Nessa visita a chef Bel Coelho nos preparou um longo menu de cozinha contemporânea brasileira. Confira:

Ostra fresca com granizado de caipirinha de limão-cravo e salsa de abacate.

Salada vermelha com tomate-pêra, beterraba, tamarillo, queijo feta, piñolis e “ar de melancia”.

Arraia com purê de banana-da-terra, farofa de farinha d’água, molho “amoquecado”.

Ovo em baixa temperatura, tutu mole de feijão, couve-manteiga, e farofa de milho com paio. Linda a cerâmica, não?!

Costelinha de porco ao mel-de-engenho e gengibre, purê de abóbora e crocante de quiabo no fubá.

Confit de pato com purê de mandioquinha, pesto de jambú, tapioca flocada e caldo quente de tucupi picante.

Doce de abóboras, laranja, côco caramelado e gelado de côco.

Terrine de chocolate com marzipan de amendoim, calda de priprioca e sorvete de paçoca.

Porquê de um menu tão caprichado? Talvez por conta de minhas companhias à mesa:

Da esq. pra dir. – Leandro Thomaz (chef da CT Boucherie), Anderson Domingos (chef de eventos do Ateliê Troisgros), Fábio Barbosa (chef do La Mar), William Chen Yen (desempregado-desocupado-cába-à-toa), Emmanuel Bassoleil (chef do Sky, restaurante do hotel Unique), Claude Troisgros (tem que apresentar?!), e Diego Lozano (ex-DOM, apresentador do Bem Simples, consultor, e pâtissier do Oui Chalela).

E com a cabeça leve da abstinência alcoólica, mas a barriga pesada da comilança, parte cada qual para um lado, de volta ao trabalho.

Anúncios