Tags

, , ,

Depois de ver alguns amigos registrando o trabalho de cozinha em stop-motion e ver isso transformado em vídeo, fiquei com vontade de fazer o mesmo. Nas experiências anteriores os equipamentos usados foram uma câmera GoPro e um iPhone. Como uso um Samsung Galaxy Note, me municiei de um app Android chamado KomaDori.

A “filmagem” acabou em 2 arquivos, que tinham de ser juntados. Após apanhar de vários programas, acabei achando no Windows Movie Maker a ferramenta ideal. Não só montei um único vídeo contínuo como adicionei abertura, som, e encerramento. Assista abaixo:

Se o que você quer saber é COMO DESOSSAR UM FRANGO, siga o roteiro abaixo. Clique nas fotos para ampliá-las, se necessário:

Mise en place: uma vasilha para as aparas, outra para o produto (que depois vai virar o "lixinho"), tábua limpa e bem posicionada na bancada (com pano ou toalhas de papel umidecidos para evitar derrapagens).

Mise en place: uma vasilha para as aparas, outra para o produto (que depois vai virar o “lixinho”), tábua limpa e bem posicionada na bancada (com pano ou toalhas de papel umidecidos para evitar derrapagens).

Para a desossa, o ideal é um frango com a pele intacta, que deve ser mantida assim até o final, de modo a conter bem o recheio.

Para a desossa, o ideal é um frango com a pele intacta, que deve ser mantida assim até o final, de modo a conter bem o recheio.

Elimine o pescoço e apare o excesso de pele ao redor. Deixe como uma gola careca.

Elimine o pescoço e apare o excesso de pele ao redor. Deixe como uma gola careca.

Remova a fúrcula, também conhecida como o "ossinho da sorte".

Remova a fúrcula, também conhecida como o “ossinho da sorte”.

Destronque as asas e corte os tendões que as prendem ao corpo. Faça o mesmo com as coxas.

Destronque as asas e corte os tendões que as prendem ao corpo. Faça o mesmo com as coxas.

Com a ponta dos dedos vá separando a carne do peito dos ossos.

Com a ponta dos dedos vá separando a carne do peito dos ossos. Não se preocupe: isso é fácil.

Faça o mesmo nas costas, mas aqui o trabalho é mais difícil: como tem menos carne nessa região, a pele aparece mais colada à carcaça, portanto com mais risco de rasgar (especialmente na linha da coluna dorsal).

Faça o mesmo nas costas, mas aqui o trabalho é mais difícil: como tem menos carne nessa região, a pele aparece mais colada à carcaça, portanto com mais risco de rasgar (especialmente na linha da coluna dorsal).

A carcaça deve sair inteira pela "gola" do pescoço ou pelo ventre. Não tem problema se algum pedaço de carne cair e ficar solto. Basta jogá-lo de volta lá dentro!

A carcaça deve sair inteira pela “gola” do pescoço ou pelo ventre. Não tem problema se algum pedaço de carne cair e ficar solto. Basta jogá-lo de volta lá dentro!

Apare fora a glândula que existe no "sobre". O frango pode ser assado com ou essa parte. Pessoalmente prefiro separá-lo, deixando como o "brinde do cozinheiro" assim que o bicho sai do forno.

Apare fora a glândula que existe no “sobre”. O frango pode ser assado com ou essa parte. Pessoalmente prefiro separá-lo, deixando como o “brinde do cozinheiro” assim que o bicho sai do forno.

Raspe a carne da sobrecoxa e corte esse osso na junta. Elimine-o.

Raspe a carne da sobrecoxa e corte esse osso na junta. Elimine-o.

Pronto! Seu frango está com a pele intacta, ossos apenas nas asas e na coxa.

Pronto! Seu frango está com a pele intacta, ossos apenas nas asas e na coxa.

Basta recheá-lo, costurar a "gola" e o ventre (com linha ou palitos) e levar ao forno!

Basta recheá-lo, costurar a “gola” e o ventre (com linha ou palitos) e levar ao forno!

Se você quiser ainda uma sugestão/orientação de como prepará-lo, publiquei isso aqui mesmo no blog há 3 anos. Consulte clicando AQUI.

Se você quiser ainda uma sugestão/orientação de como prepará-lo, publiquei isso aqui mesmo no blog há 3 anos. Consulte clicando AQUI.