Eu, sei, eu sei, mea culpa: já deveria ter ido conhecer o Epice há muito tempo. Este mês, finalmente, consegui ir. Sem pressa, seguimos um menu-degustação às cegas, guiados pelo chef Alberto Landgraf. Estava em companhia de Onildo Rocha (Casa Roccia/PB), Bianca e Kátia Barbosa (Aconchego Carioca/RJ), e a experiência não frustrou as expectativas, como poderão ver a seguir.

couvert

Couvert com pães fresquinhos da casa, feitos a cada expediente: micro-baguete (de uns 6~7 cm), rosca de azeitona, integral, e ciabatta.

tapas1

Tapa 1: crisp de mandioca, barriga de porco e cogumelo.

tapas2

Tapa 2: pele de frango frita com fígado.

ovo

Tapa 3: ovo de codorna poché embrulhado com carpaccio de wagyu, lâmina de crouton e pesto de alga.

orelha

Tapa 4: orelha de porco frita (super seca e crocante) com mostarda à parte.

melão

Tapa 5: picles de melão (por impregnação a vácuo) com zimbro.

picles

Limpando o palato pra adentrar as etapas quentes: picles de cebola roxa, tapioca, capuchinha e emulsão de amendoim.

pupunha

Pupunha sauté, mel de jandaíra e pêra fermentada.

rolha

O menu foi todo apresentado passo-a-passo pelo próprio chef ou pelo atencioso e simpático Jahnu (maitre/sommelier da casa). Todas as etapas foram harmonizadas, sendo que um dos rótulos era alemão, numa bela garrafa tampada por essa charmosíssima “rolha”. Cobicei em nível extremo.

poró

Mexilhão e alho-poró ao caldo de legumes com tucupi.

cenoura

Garoupa em baixa temperatura com picles, espuma e purê de cenoura

coração

Coração de pato com beterraba.

músculo

Músculo com 72 horas de cozimento (cortável com uma colher descartável de plástico!), tutano e pétalas de cebola.

castanha

Castanha + castanha + castanha: farofa de castanha-do-pará, sorvete de castanha crua, e lâminas de castanha torrada.

açaí

Quenelles de açaí e de queijo de cabra, rapadura ralada.

Pra você que não tem tempo para uma incursão gastronômica tão extensa, a casa disponibiliza ainda menu executivo (entrada + principal + sobremesa) a incríveis R$49. É ir ou ir.