Fim-de-ano se aproximando, fui arrumar o armário: ver o que fica, o que vai ser doado, e o que vai pro lixo.

As sobreviventes

As sobreviventes

Enfileirei as 10 dólmans acima. São minhas preferidas ou as mais recentes. DEZ dólmans!!! Achou muito?! Pois só consegui chegar a esse número (e um armário menos muvucado) depois de mandar pro paredão outras 18 jaquetas acumuladas desde o início de minha vida de cozinheiro.

Um dia desses postei a foto numa rede social e, para minha surpresa, várias pessoas se ofereceram para “adotá-las”. Dessa forma, resolvi realmente implementar meu exercício de desapego e arranjar novos donos a essas companheiras de trabalho.

dólmans1

Bichinhos de estimação à procura de novos donos que os adotem.

Algumas delas me acompanharam na labuta do dia-a-dia no restaurante, outras foram apenas de eventos/festivais, mas invariavelmente TODAS elas foram usadas para trabalhar: sentiram de perto o calor do fogo, tomaram respingos de caldos e óleo quente, estão desgastadas pelas muitas lavagens,  algumas até encardidas.

Se ainda assim você tem interesse por uma delas, deixe um comentário neste post com as seguintes informações/respostas:

1. Nome completo e tamanho de dólman.

2. Endereço eletrônico para contato, cidade e estado onde mora.

3. Cozinha apenas amadoristicamente ou em algum restaurante? Qual (e qual praça/posto)?!

4. Tem interesse numa dólman para usar ou para souvenir (lembrando que as minhas têm tamanho 4 ou 5)?

Todas as dólmans estão lavadas, mas vêem de um longo castigo penduradas no armário, com manchas encardidas e de trabalho. Convém dar um bom banho com alvejante ou água sanitária.

A preferência será dada aos interessados de Brasília (para me evitar o custo de envio) e para as pessoas que eu conheça efetivamente no mundo real.